CURSO DE BÍBLIA PARA INICIANTES

AULA 12 - O DISCÍPULO AMADO.

Cada evangelista tem um modo de mostrar Jesus e a sua obra. Para João, desde o início do evangelho, Jesus é o
Verbo feito carne. Outra diferença em relação aos sinóticos é que a redação do evangelho se sustenta numa
testemunha ocular dos fatos.
Exemplos:

Após Jesus ser traspassado pela lança:

"Aquele que viu dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro;..." (Jo 19,35).

Na conclusão do evangelho:

"Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e foi quem as escreveu;..." (Jo 21,24).

Quem seria esta testemunha ocular dos fatos? João apóstolo ou o Discípulo Amado?
Ou tanto faz, porque ambos SERIAM A MESMA PESSOA?

O DISCÍPULO AMADO:

O evangelho apresenta a partir de 13,23 uma figura enigmática : O Discípulo Amado. Parece que o mistério em torno
desta personagem poderia ser proposital, como disse o Papa Bento XVI:

"Mas quem é então este discípulo? O Evangelho não o identifica diretamente com o nome. Na ligação com Pedro,
bem como com outras vocações de discípulos, ele conduz para a figura de João, o filho de Zebedeu, mas não faz
claramente esta identificação. Ele deixa evidentemente e de um modo bem consciente a questão envolvida em
mistério."

(Jesus de Nazaré - Do Batismo no Jordão à Transfiguração. - Joseph Ratzinger - Bento XVI -Ed.Planeta -2017- Pág.197 )

Este discípulo especial é citado em:

01-Na última ceia:

"Estava à mesa, ao lado de Jesus, um de seus discípulos, aquele que Jesus amava." (Jo 13,23).

02-No pátio do palácio do sumo sacerdote:

"Simão Pedro seguia Jesus e um outro discípulo também.Esse discípulo era conhecido do Sumo Sacerdote e
entrou com Jesus no pátio do Sumo Sacerdote." (Jo 18,15).

Aqui não é dito que seja o Discípulo Amado, mas todas as outras vezes que se disse "o outro discípulo" referiu-se a
ele; por isso. a maioria dos comentaristas aceita que aqui também seja uma referência ao Discípulo Amado.

03-Perto da cruz:

"Jesus, então, vendo a sua mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse à sua mãe: "Mulher, eis o teu filho!"
Depois disse ao discípulo: "Eis a tua mãe!" E a partir dessa hora, o discípulo a recebeu em sua casa." (Jo 19,26-27).

04-Após o golpe de lança:

"Chegando a Jesus e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados traspassou-lhe o lado
com a lança e imediatamente saiu sangue e água. Aquele que viu dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro;
e ele sabe que diz a verdade....." (Jo 19,33-35).

Aqui não é dito que seja o Discípulo Amado, mas conforme Jo 21,20-24 é quem escreveu o evangelho, portanto,
é o mesmo que, aqui vê, o golpe de lança.

05-No sepulcro vazio:

"Maria Madalena vai ao sepulcro, de madrugada, quando ainda estava escuro e vê que a pedra fora retirada
do sepulcro. Corre, então, e vai a Simão Pedro e ao outro discípulo que Jesus amava......Os dois corriam juntos,
mas o outro discípulo correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro....mas não entrou.
Chega, então, também Simão Pedro, que o seguia e entrou no sepulcro....Então, entrou também o outro discípulo
que chegara primeiro ao sepulcro: e viu e creu." (Jo 20,1-8).

06-No Lago de Tiberíades:

"Aquele discípulo que Jesus amava disse então a Pedro: "É o Senhor! " " (Jo 21,7).

07-Seguindo Pedro:

"Pedro, voltando-se, viu que o seguia o discípulo que Jesus amava, aquele que, na ceia, se reclinara sobre o seu
peito.....Divulgou-se, então, entre os irmãos, a notícia de que aquele discípulo não morreria. Mas Jesus não disse
que não morreria.....Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e foi quem as escreveu..." (Jo 21,20-24).

Quem foi o Discípulo Amado ? Esta é uma pergunta que permanece sem resposta.

Assim o definiu Oscar Cullmann, teólogo exegeta francês (1902-1999):

"Ele é um antigo discípulo de João Batista. Começou a seguir a Jesus na Judéia, quando o próprio Jesus estava bem
próximo do Batista. Participou da vida de seu mestre durante a sua última estada em Jerusalém. Era conhecido
do sumo sacerdote. Sua ligação com Jesus foi diferente da de Pedro, o representante dos doze."

( A Comunidade do Discípulo Amado. - Raymond Edward Brown - Ed.Paulus -2013 - Pág.35)

A Bíblia de Jerusalém(2014):

.....a identificação do "discípulo que Jesus amava" com o apóstolo João também apresenta dificuldades.
Contrariamente aos dados de Jo 21, ele ( o Discípulo Amado) parecia morar de preferência nas vizinhanças de
Jerusalém.
Com efeito, ele só aparece no momento da última ceia em Jerusalém (13,23) e identificado explicitamente a
certo "outro discípulo" (20,2); era amigo do sumo sacerdote e bem conhecido da serva que guardava a porta de
seu palácio (18,16). ...

Os indícios, então, levam a crer que o Discípulo Amado não era João, o apóstolo, o filho de Zebedeu.

Será que Lázaro, poderia ser o Discípulo Amado ? Veja como continua a Bíblia de Jerusalém:

...Compreendemos então que certos comentadores tenham proposto, entre numerosas hipóteses (mais de vinte!),
a de que Lázaro fosse o discípulo amado.
Este discípulo habitava nas vizinhanças de Jerusalém, e nada impede que fosse conhecido do Sumo Sacerdote.
Por outro lado, quando ele cai gravemente enfermo, suas irmãs mandam um mensageiro dizer a Jesus:
"Aquele que amas está doente." (11,3; cf.11,36).
Na intenção das irmãs de Lázaro, nenhuma confusão era possível:
Jesus tinha apenas um único amigo. Não seria ele então "o discípulo que Jesus amava?"...
Como vemos, essa pessoa permanece rodeada de mistério. "

( Biblia de Jerusalém –Introdução ao Evangelho de João - Editora Paulus - 2014)

Bento XVI falando sobre João, o apóstolo, João, o presbítero e o Discípulo amado diz:

Em todo caso podemos atribuir ao "presbítero João" uma função essencial na formação final do texto do
evangelho, em que ele tinha a consciência de ser procurador fiel da tradição recebida de João, o Zebedeu...
..O autor do Evangelho de João é por assim dizer o administrador da herança do discípulo amado."

(Jesus de Nazaré - Do Batismo no Jordão à Transfiguração. - Joseph Ratzinger - Bento XVI -Ed.Planeta -2017- Pág.199-198 )

Bento XVI, bem ao seu estilo, ao afirmar que o presbítero é ao mesmo tempo "procurador fiel do apóstolo João"
e "administrador da herança do discípulo amado", associa a pessoa de João, o Zebedeu à figura do Discípulo Amado.

Quem tem razão ? Talvez nunca saibamos.

O que sabemos sobre o Discípulo Amado:

1 - Ele não é uma idéia ou um ideal a seguir. Era um homem, com certeza, conforme Jo 21,20-24.

2 - Ele foi o protagonista da comunidade joanina. Foi ele que guiou esta comunidade meio separada do grupo de
Pedro e dos outros apóstolos.
Uma comunidade com sérios problemas de divisões internas, como podemos ver nas três cartas de João

TEOLOGIA DO DISCÍPULO AMADO

A comunidade joanina, sob influência direta do discípulo amado, desenvolveu uma teologia particular e distante
da teologia dos apóstolos liderados por Pedro.

A credibilidade da função de apóstolo que aparece em todos os sinóticos, no evangelho de João é substituída
pela função de discípulo. A palavra apóstolo não é usada no evangelho de João. Em outras palavras:

mais importante que ser apóstolo é estar próximo do Jesus, como um discípulo especial.

"O quarto evangelho não dá virtualmente nenhuma atenção à categoria de "apóstolo" e faz de "discípulo" a
primeira categoria cristã, de modo que a continuídade com Jesus vem através do testemunho do Discípulo
Amado (19,35 ; 21,24)."

( A Comunidade do Discípulo Amado. - Raymond Edward Brown - Ed.Paulus -2013 - Pág.90 )

No quarto evangelho, afirma Brown:

"Os que são chamados discípulos não parece que possuem a plenitude da percepção cristã, inclusive Pedro,
quando comparados com o Discípulo Amado. Os discípulos abandonam Jesus, enquanto que o Discípulo
Amado permanece com Jesus ao pé da cruz. Pedro nega que é discípulo de Jesus. Negação particularmente
séria, tendo em vista que a comunidade joanina considerava a condição de discípulo como categoria cristã
primária.....Os cristãos joaninos, representados pelo Discípulo Amado, consideram-se claramente mais próximos
de Jesus e mais perceptivos do que os cristãos das Igrejas apostólicas....o aspecto preciso de cristologia que falta
na fé dos cristãos apostólicos é a percepção da preexistência de Jesus e de sua origem do alto...."

( A Comunidade do Discípulo Amado. - Raymond Edward Brown - Ed.Paulus -2013 - Pág 87-89 )

Agora o mais importante na teologia particular da comunidade joanina:

"Finalmente, ao contrário dos sinóticos, João não traz nenhuma palavra de Jesus ordenando ou instituindo
o batismo e a eucaristia antes de deixar esta terra....Em suma, para João o que é verdadeiramente essencial
é a presença viva de Jesus no cristão, através do Paráclito."

( A Comunidade do Discípulo Amado. - Raymond Edward Brown - Ed.Paulus -2013 - Pág 91-92 )

Vejamos o destaque dado ao Discípulo Amado:

"Em cinco das seis passagens nas quais ele é mencionado o Discípulo Amado aparece explicitamente em
contraste com Pedro:

- Em 13,23-26, o Discípulo Amado reclina-se sobre o peito de Jesus, enquanto Pedro lhe faz um sinal,
pedindo-lhe informação.

- Em 18,15-16 o Discípulo Amado pode acompanhar Jesus até dentro do palácio do sumo sacerdote, enquanto
Pedro não pode entrar sem a sua ajuda.

- Em 19,26-27, em que o Discípulo Amado aparece ao pé da cruz, o contraste é implícito: Pedro é um dos que
se dispersaram e abandonaram Jesus (16,32).

- Em 20,2-10 o Discípulo Amado corre na frente de Pedro para o túmulo e. segundo lemos, só ele acreditou
com base no que viu alí.

- Em 21,7 o Discípulo Amado reconhece Jesus em pé na praia do mar de Tiberíades e diz a Pedro que o vulto é
Jesus.

- Em 21,20-23, quando Pedro, com um certo ciúme interroga sobre a sorte do Discípulo Amado, Jesus lhe
responde: "Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?".

Tais contrastes não podem ser acidentais, especialmente quando em diversas cenas parece que João apresenta
o Discípulo Amado para estabelecer o contraste. Contrapondo o seu herói ao mais famoso dos doze, a
comunidade joanina está simbólicamente contrapondo-se a si mesma às igrejas que veneram Pedro e os doze. "

( A Comunidade do Discípulo Amado. - Raymond Edward Brown - Ed.Paulus -2013- Pág.86-87 )

Bibliografia:

- Biblia de Jerusalém – NT – Edições Paulinas - 1973
- Biblia de Jerusalém – Editora Paulus - 2014
- Biblia do Peregrino- NT - Editora Paulus - 2005
- Alfred Lappe – As Origens da Bíblia – Vozes 1973
- Alfred Lappe – Interpretação Atualizada e Catequese – Vol.03 – N.T. – Paulinas -1980
- J.Auneau – F.Bovon – M.Gougues E.Charpentier-J.Radermakers –Evangelhos Sinóticos e Atos dos Apóstolos- Ed. Paulinas – 1985
- Jesus de Nazaré - Do Batismo no Jordão à Transfiguração. - Joseph Ratzinger - Bento XVI - Ed.Planeta -2017-
- A Comunidade do Discípulo Amado. - Raymond Edward Brown - Ed.Paulus -2013

Voltar ao Menu