CARACTERÍSTICAS DO EVANGELHO DE MARCOS



A COMUNIDADE era de judeus e também de não-judeus, próximos da revolta do ano 66. Muitos autores dizem que esse Evangelho teria sido escrito em Roma. Hoje opinam que terá sido escrito na Palestina mesmo, na Galiléia, ou talvez em Antioquia, na Síria.

Estava em curso a "guerra judaica", sitiantes da Galiléia perderam suas terras, organizaram-se em quadrilhas e no ano 66 invadem Jerusalém. O que qualquer pessoa de bom senso poderia esperar aconteceu, no ano 70 Jerusalém é destruída.

"Messias", "Filho de Davi", "Filho de Deus", títulos dados a Jesus, lembravam o rei que muitos esperavam então para libertá-los do poder dos romanos. Os fanáticos líderes revoltosos davam-se esses títulos. Logo seriam massacrados. O Evangelho de Marcos foi escrito próximo desses acontecimentos, certamente na Galiléia, pátria dos revoltosos.

Os conselhos que essa comunidade precisava eram: tomar cuidado, não falar nos títulos de Jesus como Rei, Messias ou alguém poderoso. Não esperar vida fácil ou triunfo fácil. Esperar luta e sacrifício. Caminhar com Jesus para a cruz. Nada de oba-oba. Fazer mais e falar menos. Será que todos entendiam isso? Será que mesmo os dirigentes, os chefes da Igreja, sucessores dos Apóstolos, entendiam? Marcos distingue os 12 Apóstolos, os discípulos, as multidões e os que seguem Jesus. Desses diversos grupos, qual será que entende melhor a proposta de Jesus?

Descobrir isso em detalhes em Mc 10,32-52 - Que significa GLÓRIA para os 2 (e também para os outros 10?) e para Jesus? - De todos (12 Apóstolos, discípulos, etc.) quem acaba seguindo melhor a Jesus no caminho para Jerusalém (cruz)?

A FIGURA DE JESUS

Quem é Jesus? é a pergunta que percorre a primeira parte do Evangelho de Marcos (até o capítulo 8,27). Os endiabrados (fanáticos) dizem que ele é o Messias-rei, mas ele os manda calar a boca! Pedro (8,27) reconhece que ele é o Messias, Filho de Deus. Rei? Daí em diante a pergunta é: Que tipo de Messias é Jesus? Nada de general vitorioso, que toma o poder, organiza novo governo e distribui cargos de primeiro escalão (10, 35-37). A "glória" para Jesus não é o poder, é servir, é dar a vida pelos outros! Jesus é o Servo Sofredor, figura de um justo que, por ser justo, sofre como um condenado, até que os opressores reconheçam a própria injustiça e como aquele pobre, sofredor e oprimido era justo. Essa figura se encontra em 4 poemas do livro de Isaías (42 a 53). Quando Jesus acaba de morrer, o Centurião romano, um gentio, reconhece Jesus como Messias, o Filho de Deus (15,39).

- Descobrir passagens do início até o cap. 8,27 onde Jesus proíbe que digam que ele é o Messias. - Depois de 8,30 descobrir passagens onde Jesus diz que é um Messias sofredor.

DIANTE DO MUNDO

Não é a tomada do poder que vai resolver a situação da humanidade. A mudança para o mundo virá da mudança de mentalidade (metanoia[1]), trocar o chip, Em vez de competição, poder, etc. colocar-se a serviço, dar a vida, sacrificar-se pelos outros. Isso é que é capaz de mudar o mundo. E a Igreja, a comunidade dos discípulos de Jesus, está a serviço não de si mesma, mas do mundo. Deve, com Jesus, aceitar ser condenada pelo mundo para salvar o mundo.

- Encontrar em Mc 6,30-44 a sensibilidade pelos problemas da humanidade, quais são esses problemas, como fazer para ajudar a humanidade a resolvê-los.



[1]Meta = mudança, como em metamorfose; noia = de cabeça, como em paranóia.