CARACTERÍSTICAS DO EVANGELHO DE JOÃO



A COMUNIDADE começou com judeus que esperavam um Messias-rei (Jo 1,40-49). Entraram também alguns judeus de língua grega que achavam que o Templo de Jerusalém já não era tão importante (2,18-21). Daí, entraram samaritanos, que não esperavam um Messias-rei, mas um Enviado de Deus que seria um novo Moisés vindo de Deus (4,7-38). Aí começou o conflito com os judeus. Acabaram expulsando os cristãos das sinagogas (comunidades) deles (5,16-18; 9,34-35). Alguns abandonaram Jesus para ficar com os judeus (6,60-69; 12,42-43). A Comunidade foi para fora da Palestina (7,35), mas aí também encontrou dificuldades (15,18-21). O mundo não os aceitou. Tiveram grandes problemas, mas ficaram muito unidos (17,20-23). E descobriram uma coisa: ser discípulo de Jesus é dar a vida pelos outros, é amar do jeito que ele nos amou (15,12-17). Outros cristãos, até gente importante, ligada aos Doze Apóstolos, inclusive a Pedro, têm dificuldade em aceitar isso. Parece que receiam o amor de Jesus, parece que não querem que Jesus dê a vida por eles (13,36-38; 13,6-8). A comunidade se a-poia no testemunho de um discípulo, não um Apóstolo, que viu Jesus (19,35; 21,24) e que ensinou a não ter medo do amor dele, e não ter medo de morrer com ele em favor dos outros (18,15). É o "Discípulo Amado"!
- Descobrir a história da comunidade lendo as passagens do Evangelho de João citadas acima.

FIGURA DE JESUS

Jesus vem do alto, vem de Deus e mora com Deus. Uma das perguntas que o 4o Evangelho sempre está fazendo é esta: "De onde é Jesus?" "De Nazaré?" "Senhor, onde moras?" - "Vem e vê!" "Felipe, quem me vê, vê o Pai!" Jesus já sabe de tudo, antes que alguém lhe fale. Tudo o que ele faz é sinal, sinal de coisas maiores. As pessoas não entendem Jesus corretamente. Ele fala em nascer de novo, Nicodemos acha que é para voltar ao ventre da mãe. Fala de água que mata a sede definitivamente, a mulher pede dessa água para não precisar mais procurar água. O discípulo de Jesus está com ele. Na Paixão, Jesus é sempre senhor da situação. Dá a vida livremente, porque quer. Ninguém lhe tira a vida. Ele dá a vida e retoma novamente. Morrendo na cruz é glorificado. Glória é mostrar o que é amor verdadeiro. Quando pensam que estão condenando Jesus, ele é que está julgando o mundo e pondo para fora "o que manda nesse mundo" (12,31-33).
- Descobrir os traços principais da figura de Jesus em João meditando 9,1 até 10,21

DIANTE DO MUNDO

Jesus é o cordeiro que tira o pecado do mundo. O pecado do mundo é um só: cada qual querer "beber o sangue" do outro, é a ganância, a exploração e a arrogância. A resposta de Jesus é esta: dar o sangue pelos outros. Amar do jeito que ele amou! O mundo está estruturado em cima da competição, da ganância, da exploração, do dinheiro. Esse mundo sempre vai odiar os discípulos de Jesus, pois não entende Jesus nem seus discípulos. Nunca será capaz de entender que a questão é dar a vida pelos outros e não aproveitar-se dos outros o quanto puder. É preciso que todos tenham vida e vida plena. Os que vieram antes de Jesus só vieram para explorar, roubar, matar, só ele veio para que todos tenham vida e a vida plena. Mas ele não veio para condenar o mundo (humanidade) e sim para salvar. O mundo (estruturas de exploração) está condenado, mas o mundo (humanidade) pode se salvar.
- Presença dos discípulos no mundo sem se comprometer com as estruturas de exploração (17,6-19)
- Objetivo da comunidade (Jesus) e de outras instituições religiosas ou não (10,1-10) Nota: "entrar e sair" significa ter liberdade.